segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Crânio Quebrado

.......Imerso
tempo rinoceronte
destrincho impacto
deixo em pedaços
e observo sem
.......assumir polo
.......pé de âncora
na envasadura
do mar intacto

não há razão
deserto revés
se pá no centro
antro dos cacos
.......do vaso vazio
pactos sem sangue
de nada jorrado

afiro jamais

....pe
................da
ços
..........lou
....ças
................ca
..........cos

2 comentários:

Lírica disse...

Sem palavras. Sínteses e sínfises intrigantes.
"Pactos sem sangue" foi demais!
Preciso aprender isso de escrever assim parecendo um caos, mas contendo um universo. Vous et geniall! Cést beau!

Heyk Pimenta disse...

gostei negão, muito bem construído

pus coisa nova no beijo

http://beijodesal.blogspot.com

bjinho

e fiz dois comentários no maná, comenta lá.