sexta-feira, 18 de abril de 2008

Palito de Fósforo

Derretendo num forno
desesperançado de ilesão
uma matéria pétrea
em pura combustão derrete

O fósforo do tempo
lento ateou o palito
dentro lançou a epítome
monolito dessa meia hora

Que será da pena que assa
no mundo que a passa pra trás
sem idílios em garatujas?

Não sabe cozinhar de outra forma
o poderoso fogão cuja vida
consolida o ciclo dourador

3 comentários:

Lírica disse...

Sua capacidade de perceber os fenômenos intrínsecos aos mais simples e despretenciosos fatos ou feitos nos fazem pensar na riqueza de recursos internos que vc possui. E mais: há arte e beleza em tudo, da forma que vc escreve. Mesmo nas coisas mais cruéis como pode ser a percepção da passagem do tempo e o que ele consome...

Heyk Pimenta disse...

refiro o quadrado assim, com uma capa quadrada.

Heyk Pimenta disse...

nada nada disso.