segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Duzentas

Quantos ovos a pisar
onde a casca é estrangeira
e a poesia é emigrante
ante a beira do mistério
povos típicos da confusão
estouram estribilhos feitos de escuro

Uma
duzentas mil dúvidas

8 comentários:

Bagunceiro disse...

Tenho umas 500 mil dúvidas ao meu redor e elas se cruzam duplicando-se a cada segundo...mas cabe a nós simplificarmos todas elas a apenas uma: Quem nasceu primeiro? O ovo ou a galinha?

Abraços...e feliz 2009!

compulsão diária disse...

Duzentas mil suadações e vias pela poesia.
ando sem conseguir escrever nada de que eu goste.
Não desisto. Mas, tá difícil. Vir aqui inspira.
beijo

Lírica disse...

E esse pintinho que quer nascer, mas sabe que pisará em ovos?... Ele não é frágil, nem tolo... Sai do escuro pra o mais escuro...

Ca:mila disse...

que bonito, victor! gostei demais desse poema!

ps: quanto ao seu comentário, valeu pelas dicas, são sempre bem-vindas!

abraços,

c.

Olhos de Folha Minha disse...

Gostei de ler seu blog. Virei com frequencia. Muito bom mesmo!
ab

Rachel Souza disse...

Duzentas mil dúvidas e um pisar em ovos eterno.

Adriana disse...

Tuas dúvidas insanas, todas insanadas.

Eduardo Serra Lopes disse...

adorei toda a profundidd do quadrado vermelho;)

um abraço